CLUBE DE ASTRONOMIA DE FORTALEZA - CASF

  • E-mail para contato:(casf.fortaleza@gmail.com)

quinta-feira, 23 de maio de 2019

CASF COMPLETA 12 ANOS


A imagem pode conter: 3 pessoas, incluindo Paulo Régis, noite, céu e atividades ao ar livre

Hoje , o CASF(Clube de Astronomia de Fortaleza),completa seus 12 anos de existência.Fundado em 2007, a associação surgiu destinada ao estudo e divulgação da astronomia e ciências afins. Com influência da antiga SBAA(Sociedade Brasileira dos Amigos da Astronomia), do Professor Rubens de Azevedo, Claudio Pamplona, Dermeval Carneiro, Romulo Argentierri, Marijeso Benevides, Ferruccio Ginelli,Jean Nicolini e demais astronomos amadores do passado, a agremiação surgiu com o propósito de dar continuidade a essa grande história que começou com Camille Flamarion no século XIX."A popularização e estudo da astronomia para o público geral”.
A história começou especificamente, em 4 de dezembro de 2006, quando o estudante do curso de História da UFC e professor George Yure de Andrade Castro, que também era apaixonado pela astronomia e estudioso do tema, fazendo vários cursos na área, teve a ideia de criar uma comunidade no orkut intitulada:"Comunidade de Astronomia de Fortaleza",já pensando na possibilidade de quem sabe, com essa comunidade formar um grupo de estudos de astronomia.
Ao mesmo tempo, no Colégio Cristhus o estudante Leandro Silva, o diretor do observatório do Cristhus Dennis Weaver e o ex-diretor do Museu do Eclipse de Sobral Saulo Machado Filho, se reuniam no próprio Cristhus com os mesmos pensamentos.
A primeira ideia de tentar uma reunião do grupo, partiu de um anônimo, (que na verdade tinha sido o professor Yure), na comunidade virtual no dia 8 de dezembro de 2006, quando boa parte dos membros que entraram na comunidade naquele ano, decidiram se encontrar no dia 26 de janeiro de 2007 em frente ao planetário do Dragão do Mar no projeto: "Noite das Estrelas".
O Encontro do grupo da comunidade de astronomia de Fortaleza teve componentes que participaram só no começo e outros que ainda estão até os dias de hoje, Leandro Silva, George Yure de Andrade Castro primeiros (fundadores a participar), Vitor Alencar,Jaques Oliveira, Waldeney Silva)
Depois desse encontro, passou um certo período sem discutirmos a possibilidade de nova reunião, até que o Prof.Dennis Weaver resolveu convidar o grupo para fazer uma reunião no Colégio Cristhus da Aldeota através da comunidade do orkut em 06 de maio de 2007. Foi então que na noite de 23 de maio daquele ano, com a reunião de 10 membros às 18:30h em que participaram os membros fundadores: Dennis Weaver, Saulo Machado,Arnoldo Nunes,Paulo Régis B. da Rocha, Leandro Silva, George Yure de A. Castro, Bill Bastos ,Daniel Marlon, Iza Freitas e Marcos, foi criado o CASF, com o propósito de divulgar a astronomia em nosso estado utilizando sua multidisciplinaridade científica e educacional para o público geral de maneira a ajudar de forma lúdica na difusão da ciência em nosso estado.
O CASF foi uma instituição que surgiu com todas os problemas de qualquer outra instituição, mas mesmo sem recursos financeiros, e sem sede própria, todos se engajaram e até hoje, embora um pouco menos, devido a questão de falta de tempo, se engajam em fazer com que ele exista e atue na divulgação da astronomia, como faziam antes o professor Rubens de Azevedo e seus amigos da SBAA(Sociedade Brasileira dos Amigos da Astronomia).
Fizemos em Setembro de 2007 uma "STAR PARTY" na casa do membro fundador Paulo Regis, onde nessa data especial, foram eleitos os primeiros diretores do CASF na gestão 2008-2009, que inicialmente contou com a eleição dos seguintes membros:
DIRETORIA:
- Presidente: Prof. Dennis Weaver
- Secretário o Prof.George Yure de Andrade Castro
- Tesoureiro o Prof.Saulo Machado Filho(depois Leandro Silva)
CONSELHO FISCAL:
Ficou composto pelos membros:
-Arnoldo Nunes,
-Leandro Silva(depois Bill Bastos)
De lá para cá, houve mudanças nesse quadro, com a saída de membros e a entrada de novos membros. Por exemplo, a atual direção conta com a presidência do médico Hilbernon Almeida Filho.
ALGUNS EVENTOS IMPORTANTES QUE O CASF PARTICIPOU E REALIZOU:
-15 de novembro de 2007
Participação da feira de ciências escola Ubiratan Diniz de Aguiar em São Luiz do Curu-Ce.
-7 de dezembro 2007
Participação na Feira Cultural e Científica promovida pela Escola de Ensino Médio José Pinto Brandão em Umirim-Ce.
-5 de Abril de 2008
Participação no projeto Percursos Urbanos , promovido pela Ong Mediação de Saberes e BNB(Banco do Nordeste do Brasil)
Tema:”Na Trilha das Estrelas"
-27,28 e 29 de maio de 2008
Participação na semana cultural promovida pelo PNV(Projeto Novo Vestibular) no Centro de Humanidades II - PNV (Av. da Universidade, 2762 - Benfica)com palestra proferida pelo atual diretor do museu do Eclipse Emerson Ferreira de Almeida no Auditório do Bloco onde funciona o curso de história e a pós- graduação da faculdade de economia e o tema foi sobre o Eclipse de Sobral em 1919.Já o presidente do CASF o prof. Dennis Weaver proferiu palestra sobre o Sistema Solar
-1 e 2 de agosto de 2008
Observações públicas e pesquisas astronômicas realizadas na Escola de Ensino Fundamental e Médio Sabino Luís Nunes da Silva em São Luiz do Curu-Ce, tendo sido observado nesse período o cometa Holmes
O CASF no Ano Internacional da Astronomia.
-27 de fevereiro de 2009
O CASF novamente vai a São Luiz do Curu-Ce, realizar palestra de divulgação do Ano Internacional da Astronomia na Escola de Ensino Fundamental e Médio Sabino Luís Nunes da Silva.No caminho de volta na estrada no município de Croatá-Ce ,os membros conseguem visualizar e fotografar o cometa Lulin.
-3 de Abril de 2009
Apresentação do evento:”A 67 vaiaram o sol na praça do Ferreira agora vamos ver e Aplaudir a Lua”, em que foram disposto na praça do Ferreira no centro da cidade de Fortaleza-Ce Telescópios, binóculos e um telão em que as imagens da lua foram transmitidas ao vivo par mais de 300 pessoas que passavam pelo local.
-26 de maio de 2009
Participação do CASF na conferência internacional de astrofísica “Sobral Meeting”.
-26 e 27 de Junho de 2009
CASF realiza multievento na cdade de Senador Pompeu a convite do advogado Dr. Vadecy Alves.
-26 de setembro
Observações públicas no lago Jacarey.
-22,23 e 24 de outubro de 2009
Participação do CASF nas “Noites Galileanas” evento mundial promovido em homenagem ao ano internacional da astronomia.
-19 de Fevereiro de 2010
O Clube fica frente no Ceará, da observação da ocultação de uma estrela de magnitude 11 pelo objeto trans-netuniano Varuna. O evento contou com a participação presencial do Astrônomo Bruce Berger do MIT (Massachusetts Institute of Technology), e astrônomos do observatório de Paris, observatório nacional e CEAMIG, associação de astronomia de Minas Gerais.
-21 de dezembro de 2009
Observação e registro de eclipse total da lua por comissão do CASF em Paramoti.
-8,9 e 10 de junho de 2012
O CASF participa e ajuda a organizar em Fortaleza o VIII EINA que hoje voltou a se chamar EANE que é o encontro nordestino de astronomia.
-9 de novembro de 2013
Registo em Paramoti dos cometas Ison e Lovejoy por expedição do CASF .
-29 de março de 2015
Observação e registro de uma estrela “nova” na constelação de sagitário.
-26 de novembro de 2016
Observação e registro de objeto estranho no céu de Paramoti, sendo que ainda no mesmo mês, membros do grupo registram a super lua.
-21 de agosto de 2017
Equipes do CASF registram em vários pontos de Fortaleza e Região Metropolitana o eclipse parcial que foi chamado pela imprensa de o “maior eclipse solar da história”
-27 de julho de 2018
O CASF realiza evento de observação públca em parceria com o corpo de bombeiros na praia da avenida Leste –Oeste para a observação de eclipse lunar.
-1 a 29 de setembro de 2018
O CASF promove com a ajuda do planetário Rubens de Azevedo um curso de “introdução a astronomia amadora”.
-14 a 16 de novembro de 2018
Membros do CASF fazem observação e registro do cometa 46P/Wirtanen;
*Além desses eventos e Palestras públicas que o CASF promoveu no auditório arena do Colégio Christus e no auditório do Colégio do 7 de Setembro, ainda desenvolveu alguns outros projetos culturais de 2007 para cá. Por exemplo, em 2007 e 2008 no observatório do Christus cujo diretor é o nosso atual presidente Dennis Weaver foram desenvolvidas observações públicas gratuita orientadas pelo pessoal do CASF no projeto”QUARTA CELESTE” que vigorou no Christus até final de 2008.
-Ajudou na criação do CVJA(Clube Vale Jaguaribano de Astronomia) e participaram do evento de inauguração do observatório “Sírius” em Limoeiro do Norte;
-Auxilia e mantém intercambio com o CAB(Clube de Astronomia de Baturité);
-Mantém intercambio com várias outras instituições do Brasil e do Nordeste e do Ceará sendo membro da LINEA(Liga Nordestina de Astronomia).
Outro projeto interessante de divulgação da astronomia que o CASF realiza para as camadas populares é o “PROJETO COMETA”, que tem como objetivo a divulgação da astronomia através da “multidisciplinaridade” para os alunos das escolas públicas de maneira gratuita e com a intenção de despertar nos alunos o gosto pela pesquisa e pelos estudos das várias ciências.
Logomarca do Projeto Cometa
Em 14 de setembro a 30 de novembro de 2007 ele foi desenvolvido na escola de Ensino Fundamental e Meio Antonio Sales.

E no período de 27 de Agosto a 22 de Novembro de 2008. No CEJA(Centro de Educação de Jovens e Adultos do bairro José Walter).

Mais fotos e detalhes das atividades que realizamos no IYA 2009" ANO INTERNACIONAL DA ASTRONOMIA", como o Sobral Meeating, observações na praça do Ferreira, Noites Galileanas, observações no Lago Jacarey, e agora em 2010 com a participação de observações científicas como a ocultação de uma estrela na constelação de Gêmeos pelo planetóide Varuna com a presença de membros do observatório de Paris, observatório nacional, do CEAMIG(Associação astronomica lá de Minas Gerais) e a presença do astronomo americano Bruce Berger do (MIT)Instituto Tecnologico de Massachusett nos links abaixo:
Vejam no blog de eventos do CASF:
http://casfiya2009.blogspot.com/
www.astronomiaemfortaleza.blogspot.com/…/casf-estara-frente…
Enfim nesse ano em que o CASF completa 12 anos de existência, percebemos que ainda há muito para ser feito em termos de divulgação e ainda precisamos desenvolver uma estrutura cada vez mais sólida da instituição.Atualmente com a ajuda de novos membros professores, pesquisadores, estudantes acadêmicos de diversas áreas, conseguimos melhorar um pouco mais em nossa organização de eventos e até arranjamos outra sede provisória. Como não dispomos ainda de muitos recursos financeiros, uma sede própria(pois funcionamos junto a uma outra associação parceira), ainda temos muito a caminhar para fortalecer o CASF. Apesar de tudo, os resultados obtidos desde sua criação e a cada ano que passa vão ficando cada vez mais visíveis.
A todos que fazem o CASF, um feliz aniversário e que nesse ano, a instituição possa se desenvolver cada vez mais e melhor, divulgando sempre essa maravilhosa ciência que é a mãe de todas as outras ciências “A ASTRONOMIA” .
PARABÉNS CASF

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Descoberto o maior proto-superaglomerado de galáxias

Do site do ESO.

Com o auxílio do Very Large Telescope do ESO, astrônomos descobriram um titã cósmico no Universo primordial

Com o auxílio do instrumento VIMOS, montado no Very Large Telescope do ESO, uma equipe internacional de astrônomos descobriu uma estrutura colossal no Universo primordial. O proto-superaglomerado de galáxias — ao qual se chamou Hyperion — foi descoberto por meio de novas medidas, às quais se juntaram análises complexas de dados de arquivo. Trata-se da maior e mais massiva estrutura já encontrada num tempo tão remoto e a uma distância tão grande — cerca de 2 bilhões de anos após o Big Bang.

Uma equipe de astrônomos, liderada por Olga Cucciati do Istituto Nazionale di Astrofisica (INAF),  Bologna, em Itália, utilizou o instrumento VIMOS montado no Very Large Telescope do ESO (VLT) para identificar um gigantesco proto-superaglomerado de galáxias formando-se no Universo primordial — apenas 2,3 bilhões de anos após o Big Bang. Esta estrutura, à qual os astrônomos deram o nome de Hyperion, é a maior e mais massiva estrutura encontrada tão cedo na formação do Universo [1].
Calcula-se que a enorme massa do proto-superaglomerado seja mais de um quatrilhão de vezes a do Sol. Esta massa colossal é semelhante à das maiores estruturas observadas no Universo atual, no entanto a descoberta de um tal objeto tão massivo no Universo primordial foi surpreendente.
Trata-se da primeira vez que uma estrutura tão grande foi identificada a um desvio para o vermelho tão elevado, correspondente a um pouco mais de 2 bilhões de anos após o Big Bang,” explicou Olga Cucciati, primeira autora do artigo científico que descreve estes resultados [2]. “Normalmente este tipo de estruturas são conhecidas mas a desvios para o vermelho  mais baixos, o que corresponde a uma época em que o Universo teve muito mais tempo para se desenvolver e construir algo tão grande. Foi uma surpresa encontrar uma estrutura tão evoluída quando o Universo era
ainda relativamente jovem!

Situado no campo COSMOS na constelação do Sextante, o Hyperion foi  identificado ao analizar uma enorme quantidade de dados obtidos durante o Rastreio Ultra-profundo do VIMOS, liderado por Olivier Le Fèvre (Aix-Marseille Université, CNRS, CNES). Este rastreio fornece-nos um mapa tridimensional sem precedentes da distribuição de mais de 10 mil galáxias no Universo longínquo.
A equipe descobriu que o Hyperion possui uma estrutura muito complexa, que contém pelo menos sete regiões de alta densidade ligadas por filamentos de galáxias, e que o seu tamanho é comparável ao de superaglomerados próximos, apesar da estrutura ser muito diferente. “Os superaglomerados mais próximos da Terra tendem a apresentar  uma distribuição de massas muito mais concentrada, com estruturas bem definidas,” explica Brian Lemaux, astrônomo na Universidade da California, Davis, e LAM, e membro da equipe responsável por esta descoberta. “Mas no Hyperion, a massa encontra-se distribuída de forma muito mais uniforme numa série de nódulos ligados, populados por
associações pouco agregadas de galáxias.

Esta diferença deve-se muito provavelmente ao fato dos superaglomerados próximos terem tido bilhões de anos para juntar a matéria em regiões mais densas por efeito da gravidade — um processo que atua há muito menos tempo no jovem Hyperion.
Dado o enorme tamanho que apresenta já tão cedo na história do Universo, espera-se que o Hyperion se desenvolva em algo semelhante às imensas estruturas do Universo local, tais como os superaglomerados que compõem a Grande Muralha Sloan ou o Superaglomerado da Virgem, que contém a nossa própria galáxia, a Via Láctea. “Compreender o Hyperion e ver como se compara a estruturas semelhantes recentes pode dar-nos pistas sobre como é que o Universo se desenvolveu no passado e como evoluirá no futuro, dando-nos ainda a oportunidade de desafiar alguns modelos de formação de superaglomerados,” conclui Cucciati. “A descoberta deste titã cósmico ajuda-nos a descobrir a história destas estruturas de larga escala.

Notas

[1] O nome Hyperion foi escolhido com base num titã da mitologia grega, devido ao enorme tamanho
e massa do proto-superaglomerado. A inspiração para esta nomenclatura mitológica vem de um proto-aglomerado anteriormente descoberto no interior de Hyperion, ao qual se chamou Colosso. Às regiões individuais de alta densidade no Hyperion foram dados nomes mitológicos tais como
Teia, Eos, Selene e Hélios. A enorme massa de Hyperion corresponde a cerca de 1015 massas solares, em notação científica.

[2]
A luz que chega à Terra emitida por galáxias extremamente distantes levou muito tempo para viajar, abrindo-nos assim uma janela para o passado, quando o Universo era muito mais jovem. O comprimento de onda desta radiação foi “esticado” pela expansão do Universo ao longo da sua viagem, um efeito chamado desvio para o vermelho cosmológico. Objetos mais distantes e mais velhos têm um desvio para o vermelho maior, o que leva os astrônomos a usar frequentemente o desvio para o vermelho e a idade de forma semelhante. O desvio para o vermelho do Hyperion é 2,45, o que significa que os astrônomos observaram este proto-superaglomerado como ele era 2,3 bilhões de anos após o Big Bang.

 



quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Curso de Introdução à Astronomia Amadora


CURSO DE INTRODUÇÃO 
À ASTRONOMIA AMADORA

Realização

CASF - Clube de Astronomia de Fortaleza
Planetário Rubens de Azevedo

Apoio

ADUFC - Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará


Objetivo

O Curso visa servir de introdução para leigos e interessados em Astronomia a nível amador, oferecendo uma base teórica e prática sólida sobre a qual o participante poderá avançar posteriormente. Em especial serão abordados os assuntos: primeiros passos para se iniciar na astronomia amadora; compra do primeiro telescópio; como observar o céu; como usar instrumentos óticos; objetos de interesse para o amador, introdução à astrofísica e cosmologia, etc.

Público alvo

Estudantes e professores de nível médio, universitários, interessados em geral.

Duração

O curso terá duração de 6 semanas (de 01 de setembro a 13 de outubro de 2018), com encontros semanais aos sábados, exceto por duas pausas (em 8 de setembro e 06 de outubro). Serão 11 aulas (9 teóricas e 2 práticas), cada uma com 50 minutos, duas por dia, com intervalo de 15 minutos. O curso ocorrerá ao longo de 4 sábados pela manhã e 1 sábado à tarde/noite. As duas últimas aulas são optativas e serão práticas. Elas ocorrerão em um local com baixa poluição luminosa em zona rural, durante um sábado à noite. A última aula teórica será neste mesmo dia e local, à tarde, e também optativa.

Inscrições

As inscrições serão feitas pelo preenchimento do formulário de inscrição disponível em:


Valor da Matrícula

A matrícula do curso básico, sem as aulas optativas, será efetivada após o envio para o e-mail casf.fortaleza@gmail.com de comprovante de depósito no valor de 60 R$ (ou 30 R$ se estudante de escola ou universidade públicas) na conta poupança 1011736-4, Agência 1379- 0, no Banco Bradesco, em nome de Francisco Maicon Soares do Nascimento, CPF 010252693-14.

No último dia do curso (13 de outubro), haverá a oferta de 3 aulas optativas no Sítio Aquarius, em Pacajus. A primeira destas 3 aulas optativas é teórica, sobre História da Astonomia, enquanto as duas seguintes são práticas, com observação do céu noturno e manuseio de instrumentos óticos (telescópios e binóculos).

A escolha pela participação nestas 3 aulas optativas é feita em bloco, no ato do preenchimento do formulário de inscrição. A efetivação da matrícula nelas é feita em separado, mediante contato direto com a administração do Sítio Aquarius, pelo telefone 3348-7480 (Sra. Fátima), agendando 01 (um) pernoite na pousada para o dia 13 de outubro, sábado (informar que se trata do Curso de Astronomia do CASF).



ATENÇÃO! Notar que o número de vagas na pousada é limitado e a matrícula no curso básico não garante participação nas aulas optativas. Por isso, garanta logo sua vaga!!!

Para mais informações, como cronograma e conteúdo das aulas clique aqui.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Um grito para a Lua...

Durante nosso evento de observação pública do eclipse lunar total, houve um incidente curioso: poucos minutos após anunciarmos que a totalidade do eclipse havia passado, quando os olhares do público se direcionavam para os planetas que já começavam a se insinuar ocasionalmente entre as nuvens, foi a Lua que surpreendeu a todos, revelando-se por não mais do que 10 segundos. Foi tempo suficiente para suscitar entre os presentes uma inusitada reação, traduzida a seguir em versos decassílabos pelo integrante do CASF Romário Fernandes, em composição com registro do fotógrafo Ronaldo Gusmão.



segunda-feira, 30 de julho de 2018

Um eclipse sem Lua, mas repleto de planetas

Centenas de pessoas compareceram ao Núcleo de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará nesta sexta-feira (27) em busca de um ponto de observação para o eclipse lunar total que seria visível de Fortaleza.


Apesar de o evento de a observação pública, uma parceria com o Colégio Militar do Corpo de Bombeiros, ter sido marcado para as 17 horas, desde as 15h30 já havia interessados no local. Os integrantes do CASF começaram a montar os equipamentos pouco após as 16 horas. As nuvens no céu causavam tensão na terra. Apesar do número crescente de pessoas que chegavam para o evento, a nebulosidade insistia em ameaçar a visibilidade do aguardado espetáculo.

Às 17h36, o nascimento da Lua, ocultado por prédios e nuvens, marcava o início da contagem regressiva: pouco mais de 30 minutos separavam os olhos do fortalezense do final da totalidade, a porção mais bela de um eclipse lunar. A passagem dos minutos não era auspiciosa. Um horizonte acinzentado insistia em se apresentar diante das centenas de olhos atentos.

Até que às 18h13 foi anunciado oficialmente o fim da totalidade, sem que tivesse sido possível sequer vislumbrar a Lua em momento algum.

Enquanto muitas pessoas se dirigiram para casa, a maioria permaneceu, no propósito de observar os planetas em algum dos binóculos e telescópios dos integrantes do CASF instalados no local. Aproveitando as clareiras cada vez mais frequentes que se abriam entre as nuvens, o enorme contingente de pessoas que optou por ficar pode contemplar em detalhes Vênus com aspecto crescente, Marte em máxima aproximação da Terra, Júpiter com as quatro luas galileanas e Saturno com os magníficos anéis.



Por volta das 20h foram encerradas as observações.


PS.: Se você chegou até aqui, não deixe de conferir esta postagem sobre um curioso incidente não mencionado no texto acima!

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Evento realizado em Maranguape tem ótima participação popular







A noite do último dia 20, na Praça Capistrano de Abreu, no centro de Maranguape, foi uma verdadeira festa. Um garoto de uns 10 anos chegou perguntando detalhes técnicos sobre o telescópio, como de quanto era a sua abertura (tamanho do espelho principal, no caso 250 mm). Uma mulher percebeu que a imagem do telescópio refletor (que usa espelhos) é a inversa da imagem do telescópio refrator (que usa lentes). Uma criança ficou de olhos arregalados ao saber que naquela “bolinha” de Júpiter caberiam 11 planetinhas Terra em fila. E por aí vai…






A sensação ao sair da praça de Maranguape foi de deslumbramento. O público presente e as reações dele foram  muito além do previsto em termos de empolgação e prazer em observar a Lua e os planetas. As pessoas ficaram tão encantadas que algumas não passaram mais de dois segundos com o olho na ocular, como se houvessem cruzado aquela fronteira rumo ao desconhecido, que atrai e repele ao mesmo tempo. Tantas reações espontâneas de alegria em ver nossos vizinhos do Sistema Solar que não é possível dividir todas aqui. 





Enfim, foi muito bom e queremos mais. Agradecemos a todos que foram à praça e tiveram paciência de esperar sua vez para observar, em especial as muitas crianças e jovens. Agradecimento especial também ao IFCE Maranguape, à BRAMON e a todos do CASF que compareceram e se dispuserem a ajudar: Bernon, Carol, Cartier, Filipe, Lauriston, Leandro, Nivardo, Tatiana e Yure. Valeu! 






Nossa sorte é que em menos de uma semana teremos outra oportunidade de repetir o trabalho. Esperamos contar com a participação de todos na próxima observação pública do CASF, no eclipse total da Lua nesta sexta-feira, dia 27! Desta vez em parceria com o Corpo de Bombeiros do Ceará.

Confira mais fotos:















quarta-feira, 18 de julho de 2018

Maranguape terá noite de observação com telescópios na praça principal



Alguma vez você já olhou para o céu e teve a curiosidade de ver mais de perto astros como a Lua ou os planetas? Muitas pessoas já, mas se esbarram na dificuldade de ter acesso a um instrumento como um telescópio. E pensando justamente em popularizar a astronomia, é que o Clube de Astronomia de Fortaleza (CASF) e o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) promovem na sexta-feira, dia 20, uma observação do céu noturno na praça principal de Maranguape, no centro da cidade. Vários telescópios serão disponibilizados para que o público em geral possa observar a Lua e os planetas Vênus, Marte, Júpiter e Saturno.

Quem for à praça Capistrano de Abreu, na noitinha da próxima sexta-feira, vai encontrar telescópios apontados para a Lua na sua fase crescente, evidenciando detalhes como crateras, montanhas, vales e mares lunares. Também serão observados quatro planetas. Vênus, com apenas metade da sua superfície iluminada. Marte, que atualmente está mais próximo da Terra e apresenta uma tempestade de areia que recobre todo o planeta. Júpiter, com suas quatro luas maiores. E Saturno, com seus brilhantes anéis.

Parte dos instrumentos utilizados são do CASF, clube de astronomia que realiza  observações do céu com telescópios e binóculos em locais públicos e escolas da capital e interior do Estado. Outra parte é do CAAMPE (Clube de Astronomia e Astrofísica de Maranguape), ligado ao IFCE Campus Maranguaoe, que disponibilizará um telescópio automatizado e uma equipe de monitores.

O evento é inteiramente gratuito e começa a partir das 17h30, terminando às 20h. Pessoas de todas as idades estão convidadas, mas vale lembrar uma advertência: se o céu estiver encoberto por nuvens, não será possível fazer nenhuma observação.

Estrelas cadentes

Os frequentadores da praça também terão a chance de conhecer uma estação de monitoramento de meteoros. Conhecidos popularmente como “estrelas cadentes”, estes são pequenos fragmentos de rocha ou metal que, vindo do espaço, brilham ao cair na atmosfera da Terra. Lauriston Trindade, coordenador local da BRAMON (Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros) explica:  

“A BRAMON é uma instituição sem fins lucrativos e composta por voluntários para o registro, análise e estudos de meteoros no Brasil. Contando com mais de 120 câmeras em 20 estados brasileiros, é uma das maiores redes de monitoramento do mundo e a maior do hemisfério sul. No Ceará temos quatro câmeras em operação e projeto de implantar mais 11 este ano.”

Centenário do Eclipse de Sobral

A observação e a exposição integram uma série de iniciativas que visam a celebrar os 100 anos do famoso Eclipse de Sobral, cujas observações, no dia 29 de maio de 1919, serviram como evidência experimental para a Teoria da Relatividade, do físico alemão Albert Einstein. Palestras, exposições, observações, congressos, simpósios e a construção de um monumento em alusão ao evento histórico estão entre as ações que integram a programação comemorativa ao centenário.