• E-mail para contato:(casf.fortaleza@gmail.com)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Nasa descobre atmosfera com oxigênio em lua de Saturno

Foto: Nasa/Divulgação

A Nasa - a agência espacial americana - anunciou nesta sexta-feira que a sonda Cassini detectou uma tênue atmosfera - conhecida como exosfera - com oxigênio e dióxido de carbono na lua Reia, de Saturno. É a primeira vez que uma espaçonave encontra uma atmosfera com oxigênio fora da Terra.

Segundo a Nasa, a atmosfera da lua gelada é 5 trilhões de vezes menos densa que a da Terra. A agência afirma que a formação de oxigênio e dióxido de carbono pode levar a reações químicas complexas nas superfícies de corpos de gelo no universo.

"Os novos resultados sugerem que atividades químicas complexas envolvendo oxigênio podem ser bem comuns no Sistema Solar e até no universo", diz Ben Teolis, um dos cientistas da equipe da Cassini. "Essa química pode ser um pré-requisito para a vida", diz o cientista, que afirma, por outro lado, que dificilmente há vida em Reia. "Toda evidência da Cassini indica que Reia é fria demais e desprovida de água líquida necessária para a vida como nós a conhecemos."

Contudo, Um corpo de gelo que tenha água líquida abaixo da superfície e que, de alguma forma, o oxigênio e dióxido de carbono sejam transportados para esta água, pode ter um ambiente mais propício ao surgimento de componentes mais complexos e formar vida, acreditam os cientistas.

Reia é a segunda maior lua de Saturno e considerada, a partir de agora, única por causa de sua atmosfera de oxigênio e dióxido de carbono. Titã, por exemplo, outra das luas de Saturno, tem uma atmosfera rica em nitrogênio e metano, mas pouco oxigênio e dióxido de carbono. "Reia está se tornando muito mais interessante do que tínhamos imaginado", diz Linda Spilker, que trabalha no Laboratório de Propulsão a Jato, na Califórnia, e também está na equipe de cientistas da Cassini.

Fonte: Terra

Um comentário:

A. Eriveudo disse...

Encontrar vida em outros sistemas é mera questão de tempo. Há 15 anos sequer sabíamos se existiam planetas orbitando outras estrelas, e hoje já são quase 500 planetas descobertos (veja meu post sobre o assunto: http://hipernovas.blogspot.com/2010/10/do-genesis-atualidade-modelo-muito.html), e esse número só cresce. A ciência está agora empenhada em descobrir planetas ou luas de planetas gigantes de dimensões parecidas com a nossa Terra, onde as probabilidades de surgimento de vida sejam maiores. Estamos na expectativa do lançamento de missões como James Webb Telescope (que substituirá o Hubble), OWL - Um projeto de telescópio com espelho de 100 metros que depois de pronto resolverá até detalhes na superfície de planetas extrassolares, e esperar pelos resultados do satélite Kepler, cujo principal objetivo é encontrar outras Terras.

Ótimo blog. Continue divulgando o conhecimento. Abraços!